Vítima ou herói, quem você decide ser?

0
(0)

Recordemos as famosas palavras de Albert Einstein sobre o conceito de crise: A crise é a melhor benção que pode suceder a pessoas e países, pela razão que a crise traz progressos. A criatividade nasce da angústia. É na crise que nasce a inventividade, as descobertas e as grandes estratégias. Quem atribui à crise seus fracassos e penúrias, violenta seu próprio talento e respeita mais os problemas que às soluções. É na crise onde aflora o melhor de cada um. Falar da crise é promovê-la e se calar na crise é exaltar o conformismo. Em vez disto, trabalharemos duro. Acabemos de uma vez com a única crise ameaçadora, que é a tragédia de não querer lutar para superar.

Nesse contexto, existe uma coisa que tanto o poeta quanto o velejador entendem, é essa coisa de vento. É o ajuste que se dá às velas e não a direção do vento, que determina o destino do bom velejador.

Em uma prova de vela onde os barcos são exatamente iguais, onde as condições do ambiente são as mesmas para todos, e ainda vão existir os que chegam em 1º lugar, 2º lugar e 30° lugar. E a vida tem um pouco disso, irmão, amigos, conhecidos nascidos e criados sob as mesmas condições, e ainda sim com resultados tão diferentes. Uma das possibilidades para essa diferença passa pela forma com que cada um encarou e passou por cada desafio, como analisou explorou os feedbacks das suas ações ou falta delas.

E como vencer esses “desafios”?

Esteja no controle da sua vida. Ao invés de reclamar, julgar, culpar os outros, você deve colocar o foco na sua zona de ação prioritariamente. Mas como assim? Eu explico…

Você não pode impedir que pessoas lhe ofereçam comida que não lhe convenham, se o emagrecimento é o seu objetivo. Você não pode impedir que amigos lhe convidem para uma noitada quando você sabe que precisa dedicar um pouco mais de tempo aos estudos. Você não pode impedir que colegas de trabalho puxem assunto em um momento em que você precisa dedicar atenção na elaboração de um relatório. Você precisa ter ações sistemáticas e pensadas previamente de como lidar com essa situação, resposta estratégia para cada um dos elementos de distração.

Entendeu o mecanismo? No final você sempre poderá agir, de alguma forma, para bloquear a ocorrência ou minimizar os seus impactos. Exemplo: você pode influenciar para que Happy hour ocorra em um local que ofereça alternativas e possibilidades para que você permaneça na sua dieta. Caso você não tenha sucesso, você pode se alimentar previamente ou decidir previamente o que será consumido.

Esse é o poder da autorresponsabilidade!

Quer saber mais? Ficou com dúvida? Entre em contato comigo.

Você gostou desse post?

Compartilhe o post:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Deixe uma resposta

Leia também

Qual o impacto da TV no seu cérebro?

0 (0) Todos nós ouvimos o aviso quando crianças: “Essa TV vai prejudicar o seu cérebro! ”, e hoje a preocupação é ainda maior, já

Como lidar com o TOD?

4 (4) Em algum momento você já pensou “o que faço agora?” ou “como posso ajudar meu filho (a)?” O que é? De acordo com

Rua Abílio Moreira de Miranda, 45
Alto Cajueiros, Macaé – RJ | 27915-250
Macaé Trade Center | MTC

Agende uma consulta no Plenamente